top of page

O Bode e a COVID


Um bode

Quando eu era criança meu pai me contava uma história de um homem que vivia em uma casa pequena, com uma família bastante grande.

Todos os dias, depois de uma longa jornada, esse homem ia para casa mas não conseguia descansar. Os três filhos gritavam porque não queriam tomar banho, nem fazer seu dever de casa. A mulher reclamava da sogra que não a ajudava nas tarefas do lar. A mãe reclamava da nora, porque achava que ela não era uma boa mãe, não cuidava da casa, nem dos filhos. O cunhado, desempregado, ocupava o sofá da sala dia e noite.

E assim, o homem nunca conseguia descansar. Um dia ele foi até a igreja reclamar para o padre sobre a vida que levava, que após ouvir o que o homem tinha a dizer, deu-lhe um conselho brilhante:

– Compre um bode e deixe-o na sala.

– Como assim? – perguntou o homem admirado com a sugestão do pároco

O padre repetiu – compre um bode, e deixe-o na sala. Daqui a um mês, volte para conversarmos novamente.


O homem seguiu o conselho do padre, comprou um bode e o deixou bem no meio da sala! Aí sim a vida do homem virou um verdadeiro inferno! Não bastasse a gritaria dos filhos, as reclamações da mulher, o cunhado desempregado, e a mãe reclamando da nora, ainda tinha o bode! Quinze dias depois o homem procura o padre que, vendo o desespero do homem, sugere:

– Venda o bode.

– Como assim? Vender o bode? – indagou o homem.

– Sim, livre-se do bode!

E assim, o homem vendeu o bode, e a sua vida melhorou muito!

(Autor desconhecido)

Hoje, o governo português anunciou que, a partir de sábado (01/08/2020), os bares poderão abrir até meia noite (exceto Lisboa), e as discotecas até às 20horas, sem pista de dança, que pode ser usada apenas para mesas, e respeitando o distanciamento social. Porém, não poderão servir refeições completas, apenas refeições rápidas como bolos, salgados e bebidas. Os estabelecimentos que possuem área externa (esplanada) poderão utiliza-las. Estes estabelecimentos deverão seguir as mesmas regras dos cafés.

Esta medida significa a retirada do bode da sala. Por quê?


O bode foi colocado na sala no início de março.

  • Os bares e discotecas foram os primeiros a fechar no período de confinamento e estão a ser os últimos a abrir.

  • Foram um dos setores mais impactados, ao lado do turismo e da cultura. São quase cinco meses fechados, sem faturamento, somando grandes prejuízos para os proprietários e funcionários que foram desligados, ou estão em regime de lay off (redução de salário e subsídio do governo).

  • A Direção Geral de Saúde (DGS) estava preocupada com as questões financeiras, mas tem receio em permitir a abertura dos bares e discotecas devido a aglomeração de pessoas. Assim, havia muita resistência da DGS.

  • Os exemplos de abertura, em outros países da Europa e da Ásia, não demonstraram resultados positivos, ao contrário, essas casas demonstraram ser foco da doença. Muitas boates tiveram que ser fechadas novamente.

  • Estamos em período de férias de verão, e volta e meia a Guarda Nacional descobre alguma festa clandestina (só são permitidas reuniões de no máximo vinte pessoas), o que pode colocar em risco os resultados conseguidos pelo país. Três dessas festas resultaram em novo foco da doença.

  • Perante todas essas situações, o governo se mantinha em silêncio.

O bom senso diz que pode ser mais seguro manter as pessoas em um ambiente controlado, e assim, o bode está a ser retirado da sala. Já é um começo! É uma luz no fim do túnel!

Mas é importante considerar que a situação está muito longe de ser normal, e até mesmo de ser um "novo normal". Isto porque é circunstancial. A posição ainda não está fechada. E muitas dúvidas ainda pairam no ar:

  • Quando finalmente chegará a vacina?

  • Será que com a vacina este setor voltará a ter uma vida normal?

  • Depois de quanto tempo após a introdução da vacina será obtida a imunidade?

  • Será que as pessoas estarão confortáveis com as aglomerações?

  • Fala-se de uma nova onda mais intensa que a primeira. Estamos a ingressar na segunda onda?

Mas... a abertura, mesmo que restrita, já é uma luz no final do túnel para esse setor que não quer ser responsável por uma nova onda.

O bode está a sair da sala, não saiu totalmente. Porém, se a regras não forem respeitadas, o bode volta para a sala, e ai ele estará maior.

142 visualizações

Comments


bottom of page