top of page

Você pode fazer a diferença: use seu conhecimento para ajudar as pessoas


Você sabe muitas coisas. Comece hoje!

O momento atual (sempre foi assim) nos coloca vários questionamentos sobre qual caminho seguir e se estamos no caminho certo, ou não. Apesar de muitos acreditarem que este é um questionamento feito apenas por jovens em início de carreira, ou no momento de decisão do vestibular, essa é uma dúvida que nos perseguirá por toda a vida. E a única resposta certeira que eu posso te dar é que: essa questão não tem resposta.

Nem quando escolhemos o caminho, e mesmo depois de percorre-lo por um tempo não podemos dizer que aquele foi o melhor caminho. Apenas podemos dizer que foi o caminho que escolhemos, naquele momento, com as informações que dispúnhamos naquela ocasião.

A boa notícia é que ninguém precisa decidir tudo sozinho e pode contar com o apoio de outras pessoas, especialistas ou mais experientes, em situações de enfrentamento de uma situação ou problema complexo. Mesmo grandes organizações contam com a ajuda de consultores externos, especialistas em algum assunto específico. Executivos contam com a ajuda de mentores ou coaches.

Outra coisa boa, é que existe espaço para profissionais mais experientes ajudarem jovens executivos e empresários a escolherem o caminho. As universidades também têm incentivado a figura do mentor.

Como você pode aproveitar seu conhecimento?


Quem é quem?

Quando se fala em serviços de transferência de conhecimento, ainda há muita confusão sobre o papel de cada profissional, e aqui neste artigo eu pretendo ajudá-lo a resolver essa confusão.

Meu objetivo é te mostrar algumas formas que você pode utilizar para ajudar outras pessoas com o seu conhecimento. Mas já adianto que o ponto de partida sempre será o mesmo:

estabelecer quais são os objetivos do trabalho conjunto


1. Consultor

A consultoria é uma função com a qual provavelmente estamos mais familiarizados. O consultor é alguém com qualificações formais em um determinado tema e/ou experiência direta na realização de uma atividade para outros indivíduos ou empresas. O papel do consultor é de "solucionador" de problemas.

A maioria dos consultores são contratados em nível de projeto, que também é a principal distinção entre um consultor e um coach ou mentor. Os consultores são pagos para resolver um problema específico.

O consultor se concentra em fornecer uma solução para um problema específico.

Na consultoria, o cliente é envolvido nas fases de briefing, definição do escopo e revisão durante o projeto, mas não desenvolve ativamente a conclusão. Um consultor passa sua expertise para outros empreendedores, que estão dispostos a pagar para ter acesso a esse conhecimento. Mas isso não significa que os consultores saibam as respostas para todas as perguntas de seus clientes imediatamente. Primeiro, eles precisam entender e pesquisar o contexto do problema de seus clientes antes de poderem recomendar o melhor curso de ação.

A consultoria baseia-se na experiência e no treinamento do consultor para encontrar soluções para problemas quando a empresa não consegue ver um caminho claro por si só. Um bom consultor conta com seu profundo conhecimento do assunto e como ele se aplica aos seus objetivos. O seu papel é consultivo e o aconselhamento é adaptado ao seu negócio. Sua objetividade é quase tão valiosa quanto seu conhecimento.

A empresa contrata um consultor para ser um especialista de alto nível relevante para o problema que está enfrentando em seu negócio. O consultor não está focado no planejamento sucessório da empresa. Ao contrário, eles fornecem estratégias, conhecimentos e metodologias para resolver um problema. Não há compromisso pessoal ou de longo prazo, como provavelmente pode haver em um relacionamento de mentoria. Uma vez que o consultor forneceu as soluções recomendadas, estratégias, etc., a interação está completa.


Vantagens de trabalhar com um consultor

  • ter um par de olhos objetivo em seu negócio;

  • ótimos para resolver problemas específicos; e

  • a empresa economiza, pois contrata um consultor para um projeto e quando o projeto acaba ele pode ir embora.


Desvantagens de trabalhar com um consultor

  • a empresa precisa ter certeza absoluta do motivo pelo qual está trazendo o consultor, caso contrário, pode ser um exercício caro e inútil.

2. Coach

O coaching é um campo bastante diferente do mentoring, da consultoria, e do treinamento. Um coach é focado no futuro, pois envolve levar o cliente (coachee) para um nível mais alto. Existem algumas modalidades de coach como por exemplo: coaches de negócios, estilo de vida, relacionamento e até bem-estar.

O coach é alguém que faz perguntas inteligentes para encorajar o coachee a apresentar suas próprias soluções sempre que possível, permitindo que eles ampliem seus limites e melhorem na área acordada. Em vez de ser visto como a pessoa com as respostas, o coach é visto como um parceiro para apoiar o cliente na busca de um futuro melhor para si.

O coach ajuda o cliente descobrindo as respostas interiores, e raramente dá conselhos de sua experiência pessoal. Ao contrário das relações de mentor e consultor, os coaches têm um relacionamento com o cliente que se assemelha a uma parceria ativa. O coach deve ser um ouvinte focado e engajado, pois ajuda o cliente a identificar desafios, trabalhar com o cliente para transformar esses desafios em vitórias e responsabilizar o cliente por alcançar seus objetivos desejados.

Mas não pense que isso é fácil! Há métodos para isso. Assim, para ser coach é preciso passar por uma série de treinamentos a fim de desenvolver as melhores técnicas.

  • Coaching de negócios é o processo de se envolver em conversas regulares e estruturadas com um cliente. O objetivo é aumentar a conscientização e o comportamento do cliente para atingir os objetivos de negócios para sua organização.

Dito de outra forma, um coach apoia seu cliente para alcançar um objetivo específico ou situação desejada. Ao fazê-lo, o relacionamento entre um coach e o cliente é muitas vezes baseado em uma relação de um para um e, portanto, mais íntimo. O coaching envolve uma profunda exploração das motivações e objetivos de seus clientes. Isso leva tempo e foco.

Ao contrário de um consultor, o coach não resolve o problema do cliente apresentando a solução, ele questiona o cliente para que ele encontre a solução mais adequada.

O coaching implica uma abordagem não prescritiva. Um coach desafia o status quo e estimula discussões com base nos pontos fortes de seu cliente e nos recursos já disponíveis. Existem dois tipos de coaching: abordagens diretivas e não diretivas. Na maioria das vezes, você verá uma mistura dos dois.


Um coaching deve ser credenciado ou não?

Há um debate constante sobre se alguém deve ser credenciado (ter passado nos exames de coaching) para se chamar coach. Porém, as provas de acreditação não são iguais.


Vantagens de trabalhar com um coach

  • Aumento da autoconfiança. Um bom coach permitirá que o coachee crie suas próprias soluções e seja encorajado a cumpri-las, portanto, você obtém responsabilidade e suporte brilhantes.


Desvantagens de trabalhar com um treinador

  • É muito difícil comparar coaches. Escolha deve ser feita por indicação e baseada em afinidades, que compartilhe os mesmos valores e que tenha a formação certa para as necessidades do coachee.


3. Mentor

O mentor atua como um guia e conselheiro confiável para o mentorado (ou mentee), com o objetivo principal de transferir conhecimento de forma relativamente informal e em um longo período de tempo.

Muitas organizações estão usando esquemas de orientação para integrar seus graduados em seu ambiente cultural. No entanto, os funcionários seniores também podem se beneficiar de um relacionamento de mentor para seguir o próximo grande passo de sua carreira.

O mentor é alguém já esteve em uma situação semelhante ao mentorado, que pode aconselhar sobre qual curso de ação eles tomaram e como isso funcionou. O mentee aprende com a experiência deles.


Nas organizações, o mentoring geralmente define uma relação entre os membros mais juniores e mais seniores. Geralmente, é focado no treinamento de sucessão. O mentor é visto como aquele que tem as respostas devido à sua antiguidade e experiências pessoais. Os mentores permitem que o mentorado observe suas interações com os outros, faça perguntas e forneça orientação para o planejamento de carreira.


Vantagens de trabalhar com um mentor

  • aprender com os erros dos outros;

  • ganhar um aliado valioso;

  • encurtar caminhos; e

  • criar uma rede de networking.


Contras de trabalhar com um mentor

  • Existe o risco de que, se a abordagem sugerida pelo mentor não funcionar para mentee, pode parecer que a culpa é do mentorado, e não uma indicação de que era necessário realizar de uma maneira diferente.


4. Treinamento

Treinador é um profissional que ensina uma habilidade específica.


O treinamento é um tipo de ensino.

Geralmente o treinamento é formal e pré-planejado. O treinador possui materiais pelos quais eles guiam as pessoas que estão sendo treinadas. Talvez haja até um teste no final. Na maioria das vezes, o treinamento é um para muitos.


Vantagens de participar do treinamento

  • o cliente sabe o que está recebendo. Deve ficar claro quais serão os resultados do aprendizado;

  • quando há uma lacuna de conhecimento específica para preencher, um treinamento pode ser pesquisado facilmente; e

  • pode ser uma opção mais barata.


Desvantagens de participar do treinamento

  • O treinamento geralmente não tem o fator de responsabilidade que as outras opções têm.


As atividades desses profissionais se cruzam?

Em suma, sim. A maioria dos coaches fará um pouco de orientação. A maioria dos Mentores fará um pouco de treinamento. A maioria dos treinadores adaptará sua abordagem aos seus clientes. A maioria dos Consultores tentará transmitir algumas habilidades e conhecimentos como parte do que fazem.


A diferença entre um Coach de Negócios e um Consultor

Todos os quatro modelos ajudam seus clientes a ir do ponto A (a situação atual) ao B (a situação desejada). O que difere sãs as abordagens e os métodos.

Por exemplo: Enquanto um consultor elabora uma solução em si, um coach apoia o cliente para alcançar o resultado desejado. Obviamente, há sobreposições sutis, pois um consultor também pode assumir a forma de um mentor ou coach às vezes. No entanto, as diferenças entre o foco, a relação e o processo requerem uma distinção conceitual. Veja que interessante o quadro apresentado pela Consulterce:



Qual o melhor papel para servir o cliente?

Você terá que descobrir com quais desses papeis você se identifica mais. Eu, por exemplo, realizo três papeis: treinamento, mentoria e consultoria. Não sou coach certificada, apesar de conhecer muitas técnicas.

Como consultora, digo aos clientes o que precisam fazer para resolver seus problemas. Uso toda a minha experiência profissional e acadêmica para encontrar a melhor solução para a empresa que me contratou. Busco uma solução imediata para ajudá-los com os desafios que estão enfrentando agora. A consultoria certamente tem seu propósito, mas para atender membros e clientes no mais alto nível, eu a uso com parcimônia.

Como mentora eu faço mentorias individuais ou em grupo. Eu ensino e compartilho minhas experiências, para que as pessoas tenham uma visão mais profunda dos problemas e desafios que estão enfrentando. O segredo de uma boa mentoria é ter um método. Eu desenvolvi um método com os conhecimentos do doutorado somado as minhas experiências como executiva. É o método DENPEC para a criação e entrega de produtos de valor. Meus clientes são coaching, mentores, consultores e profissionais da área de educação que pretendem migrar para o ambiente digital.

Essa abordagem ajuda as pessoas a refinarem seu pensamento e cultivar seus instintos ao longo do tempo. Eu trabalho com o desenvolvimento de técnicas de Rapport e o relacionamento com o cliente (para o desenvolvimento dos produtos) no ambiente digital. Tanto a orientação quanto a consultoria são as principais opções quando há uma lacuna de conhecimento.

Na minha função de mentora, eu recorro as perguntas de coaching que permitem que os mentees desenvolvam seu próprio caminho. Na minha experiência, os membros que criam suas próprias visões e estratégias são muito mais propensos a implementá-las e sustentá-las – e obter os resultados que esperam. Eu os guio para encontrarem o caminho.

No treinamento preparo um material específico de acordo com a necessidade do cliente que me contratou. Vou deixar para falar sobre cursos e treinamento em um outro artigo.

Aprendi que não é sobre mim, mas sim sobre o meu cliente. Por isso, ouvir é muito mais importante do que falar.

Trata-se de ajudá-los a tomar as decisões mais bem informadas por si mesmos. Muitas vezes, isso significa fazer perguntas que inspirem os clientes à autorreflexão. Eles tomam o caminho que eu percebo ser o melhor para eles, mas eu os deixo encontrar o caminho.

Um outro ponto importante, que busco trabalhar sempre, é a realização de networks. É meu papel como mentora ajudar meus mentees a desenvolverem seus próprios networks.

Em resumo, ao trabalhar com outras pessoas, é útil recorrer a diferentes abordagens, incluindo consultoria, mentoria, coaching e treinamento. Cada um tem seu lugar. Fazer essas distinções claras – e saber quando colocar qual chapéu – me ajudou a atender clientes e membros de forma mais eficaz; talvez isso possa ajudá-lo também.

A distinção entre os papéis de mentor, consultor e coach pode não ser óbvia à primeira vista. Mas eles são diferentes e, como nos pedem conselhos, precisamos discernir exatamente o que eles realmente precisam antes de entrarmos.

Ao ter maior clareza das diferenças entre os papéis de mentor, consultor e coach, podemos discernir melhor o que um cliente precisa quando nos procura (nosso conselho ou ajuda?).

  • Uma pessoa júnior que deseja aspirar a um cargo de liderança provavelmente precisa de um mentor.

  • Uma pessoa que tem um problema específico na realização de uma atividade, ou projeto, provavelmente precisa de você para atuar como consultor.

  • Uma pessoa que está em transição de um cargo de liderança pode precisar de um coach que faça parceria com ele para mostrar como ele deseja estruturar seu próximo estágio de carreira enquanto proporciona um ambiente que facilite seu crescimento e os responsabilize por alcançar seus objetivos.

O mais importante em todo esse processo é que nós pensamos que ensinamos, mas na verdade estamos aprendendo o tempo todo!


Quais as ferramentas para começar a difundir conhecimento?

  • Livros

  • Blog

  • Podcast

  • Vídeo

  • Palestras (seminários, webinars, palestras em eventos)

  • Tutoriais (cursos online )

  • E-books

  • Infograficos

  • Marketing digital

Comece a compartilhar conhecimento hoje!

Você pode começar a orientar os outros hoje.

Você também pode se envolver com organizações que estão procurando voluntários e mentores. Você pode ir nas mídias sociais, procurá-los ou perguntar aos seus amigos em sua rede se eles sabem de alguma oportunidade onde você possa compartilhar suas habilidades e experiência.

Uma ótima maneira de ajudar as pessoas é compartilhando conhecimento na internet. Se você tem um blog, então escreva sobre algo que outras pessoas não sabem. Pode ser algo no campo do marketing ou desenvolvimento de negócios — ou talvez até mesmo algo completamente não relacionado!

Quanto mais as pessoas aprenderem com o que você compartilha, mais valor elas verão em seu trabalho e experiência também — o que as fará querer contratá-lo mais tarde quando precisarem de novos serviços prestados por alguém com essas habilidades particulares (e espero que suas).

4 comentarios


Camila Franco
Camila Franco
05 jun 2022

Adorei o artigo. Vou utilizar e compartilhar.

Me gusta

pdca
pdca
29 may 2022

São diferenças sutis, mas importantes, entre as 4 atividades. Mas neste artigo, com os exemplos, fica mais claro. Parabéns Denise

Me gusta

Lílian de Brito
Lílian de Brito
29 may 2022

SENSACIONAL! Didático, objetivo e necessário:) Muito obrigada!

Me gusta

Muito bem apontado, no que diz respeito às semelhanças e diferenças entre os papeis

Me gusta
bottom of page